Ferreira do Alentejo
1 a 3 jun 2018

MÚSICA, GASTRONOMIA, ARTES & OFÍCIOS, DANÇA, ANTROPOLOGIA E CINEMA.

Este evento anual, acolhe para si desafios culturais ao chamar um cartaz nacional e internacional de várias expressões contemporâneas, fazendo co-habitar tradição e atitude inovadora.

Ver Programa - formato A3 (.pdf 2.38 MB)

Sexta-feira 1
Sábado 2
Domingo 3
Sex 1
Sáb 2
Dom 3

Festa de Esquilas

Cerca de 450 crianças do concelho de Ferreira do Alentejo desfilam com esquilas fabricadas artesanalmente em Alcáçovas, ligando a arte da fundição do metal, os rituais da transumância e as manifestações de património imaterial contemporâneas, como no caso do Grupo Folclórico Os Chocalheiros de Vila Verde de Ficalho, muitas vezes responsáveis pela abertura de festivais e eventos culturais. Assim, com as crianças protagonistas da abertura do Festival Giacometti iniciamos as festividades.

11h45
Ruas de Ferreira do Alentejo
#Música
#Antropologia

Montagem do Varal Esquilaneiro

Composto por 450 esquilas da Fundição de Bronze e Latão Alcáçovas, este instrumento musical comunitário convida toda a população a ser intérprete de música de composição indeterminada. Uma proposta no rastro do grande compositor John Cage, revelando as sonoridades antigas do pastoreio caprino e apresentando a mestria de Rodrigo Sim Sim, fabricante artesanal de esquilas e guizos, que nos conta na sua fundição, à beira do forno pujante, “O metal fala connosco, é o metal que nos ensina”.

12h
Centro Manuel da Fonseca
#Música
#Arte

Deambulação Chocalheiros de Vila Verde de Ficalho

Percorrendo tempos antigos, a deambulação dos chocalheiros ainda há bem pouco tempo fazia parte das celebrações da Páscoa. Chega hoje até nós através de Os Chocalheiros de Vila Verde Ficalho que, partilham connosco os ecos dos rituais de transumância das nossas terras. 

17h
Ruas de Peroguarda
#Música

Viagem no Tempo

Mostra de pintura de Ana Parreira

Nos anos 70/80 em Cascais, a Ana Parreira fez parte da mesma tertúlia artística e intelectual à qual pertencia Michel Giacometti. Ambos partilhavam uma intimidade extraordinária com o Alentejo, ele através da musicologia, ela através da expressão plástica, nomeadamente pintura, desenho, escultura e performance. “Recordo-me do Michel me dizer que eu devia ser obrigada a trabalhar em pintura a tempo inteiro, sem estar envolvida noutras actividades. Não foi isso que aconteceu, no entanto olhando para trás no tempo, confirmo que não deixei por fazer acontecer, pintar sempre constituiu para mim uma necessidade.”

Participação especial do Grupo Coral Etnográfico Alma Alentejana

17h30
Casa do Povo de Peroguarda
#Exposição
#Arte

Deambulação Chocalheiros de Vila Verde de Ficalho

Percorrendo tempos antigos, a deambulação dos chocalheiros ainda há bem pouco tempo fazia parte das celebrações da Páscoa. Chega hoje até nós através de Os Chocalheiros de Vila Verde Ficalho que, partilham connosco os ecos dos rituais de transumância das nossas terras. 

19h
Ruas de Ferreira do Alentejo
#Música

O Descanso na Intensidade das Cores

de Francisca Marvão e Tatiana Saavedra

A vida é uma viagem vertiginosa. O quotidiano das gentes de Săpânţa acompanha essa viagem, da morte ao nascimento, das cores ao seu descanso. 

21’ / PT / 2017

19h15
Capela de Santo António
#Cinema

Grupo Coral Os Boinas e Cantadores do Ladrão

Cante Alentejano

O núcleo museológico Casa do Vinho e do Cante celebra a Cultura e a História Viva, recebendo o Grupo Coral Os Boinas e os Cantadores do Ladrão, todos eles familiares desta casa antigamente chamada Taberna do Zé Lelito. Aqui entre talhas grandes, de geração em geração, o cante se transmite e se partilha à volta do vinho e do petisco.

20h
Casa do Vinho e do Cante
#Música

Povo que Canta, alguns episódios

Recolhas de Michel Giacometti, realização de Alfredo Tropa

Os episódios realizados para a RTP pelo etno-musicólogo corso Michel Giacometti são fruto de uma recolha e investigação em Portugal de valor incontornável na área da música e culturas populares. Graças a estes documentos televisivos podemos hoje apreciar e compreender de forma ampla uma cultura de expressão popular do mundo rural desaparecido.

21h
Largo Dr Manuel de Oliveira
#Antropologia
#Cinema

Rosalía Mowgli e a Escuela Encantada

Concerto dedicado às crianças

Com cariz fortemente didático, este concerto percorre várias culturas musicais, ibérica, indiana, latino-americana, africana e flamenca, introduzindo a sonoridade diversa de múltiplos instrumentos musicais. Num envolvimento directo com o seu público infantil oferece ainda o lado insólito de transformar objectos do quotidiano em instrumentos musicais.

21h30
Jardim Público
#Música

Fonko

de Göran Olsson, Lamin Daniel Jadama & Lars Lovén

Uma grande revolução musical do nosso tempo está a ter lugar em África. Kuduro, coupé-décalé e ndombolo são estilos de música de dança, baseados em ritmos tradicionais e tornaram-se uma forma de expressão da identidade para toda uma geração. Narrado por Fela Kuti e Neneh Cherry.

88’ / SUÉCIA / 2016 / legendado

22h
Centro Manuel da Fonseca
#Cinema

Dj Rita Só - Undoing Taboos

Senhora de um conhecimento e paixão profundos pela música nas suas formas mais puras de inúmeras latitudes, Rita Só revela uma coleção e saber vibrantes e imponentes da música africana, com particular atenção aos ritmos de Angola e Cabo Verde, para daí cruzar mundos e histórias num equilíbrio de febre e grande celebração.

00h
Jardim Público
#Música

Despique da Popia

Mercado e Concurso animado pelas vizinhas Chica e Rosa

Congregação de saberes fazer. Toda a população das freguesias está convidada a trazer as suas popias de receitas antigas, receitas das avós e das madrinhas. A vizinha Chica (Teresa Jardinha) e a vizinha Rosa (Rita Guerreiro) já se sabe, não vão faltar.

10h45
Jardim Público
#Gastronomia

O Cante Popular Religioso no Baixo Alentejo

por Padre António Cartageno

O compositor Padre António Cartageno, diplomado em Canto Gregoriano e em Composição Sacra pelo Pontifício Instituto de Música Sacra de Roma vem partilhar connosco a sua sensibilidade e conhecimento do cante popular religioso no Baixo Alentejo, enquanto contributo para a envagelização e para a cultura.

11h30
Centro Manuel da Fonseca
#Música
#Workshop

Músicas Ibéricas - workshop

por Rosalía Mowgli e Luis Gálvez, Punto

Dirigido a músicos profissionais ou amadores e também a curiosos que queiram lançar-se numa tarde de aprendizagem musical e de cultura ibérica, este workshop de cerca de 2h30 é  uma viagem através da beleza da música espanhola de raiz popular baseada numa recolha de músicas de várias partes de Espanha. Exploram-se canções, ritmos e melodias da música tradicional espanhola, de Cantábria, Castela, Salamanca, Asturias, La Mancha, Extremadura, Ibiza e Andaluzia, Uma variedade de instrumentos, a caixa percussiva flamenca, o adufe, o almofariz, a pandeireta serão manuseados e explorados pelos participantes com a orientação de Rosalía Mowgli e Luis Gálvez.

14h30
Terraço do Museu Municipal
#Música
#Workshop

O caso das cestas de esteira de Odivelas

Identidade e Património Cultural Imaterial

A produção de cestas de esteira consiste numa atividade artesanal, de cariz pré-industrial  que, na Freguesia de Odivelas, concelho de Ferreira do Alentejo, recorre a espécies vegetais endógenas, caraterísticas das margens da ribeira de Odivelas, em particular o junco e o vime. Trata-se de uma atividade emblemática e identitária desta freguesia que envolve diferentes saberes fazer relacionados com a preparação do junco, desde montagem de tear até ao entrelaçar das fibras, cozedura das esteiras e colocação das asas. Os motivos  ornamentais podem assumir a forma de rosas, xadrez, paus simples, losangos, cruzes ou linhas que se revelam em tons de verde, amarelo, vermelho ou roxo. 

Esta arte foi transmitida de geração em geração, persistindo até hoje em Odivelas onde ainda é praticada por Herminia Gonçalves e José Nunes, o que se espera não ser último casal de cesteiros!

17h
Museu Municipal
#Exposição
#Arte

Vida Conversável: Mariri - a música e a dança para plantas e colheitas

por Verónica Castro e Káwá Huni Kuin

Nesta sessão da VIDA CONVERSÁVEL, o músico indígena Kawá Huni Kuin e a antropóloga Verónica Castro falam sobre a vida nas aldeias indígenas do alto Jordão em plena floresta amazónica brasileira, revelando-nos  o papel fundamental da música e da dança na cultura da etnia indígena Huni Kuin. Káwa é originário da floresta onde Verónica Castro está a desenvolver o seu trabalho de campo mais recente. Ambos irão convidar o público a participar numa Roda de Rapé, cerimónia executada através de um osso de veado amazônico.

19h
Jardim Público
#Antropologia
#Workshop

Cervejas Artesanais do Baixo Alentejo

Apresentação e Degustação por João Rosa, Joaquim Chamorro e Sérgio Rodrigues da Silva

Os três fabricantes de cerveja artesanal do Baixo Alentejo apresentam a sua arte de levedar para degustação.

20h
Praça Comendador Infante Passanha
#Gastronomia

Subversiones y Nanas Urbanas

de Rosalía Mowgli e convidado Luis Gálvez, Punto

"Subversões e Canções de Embalar Urbanas” de Rosalía Mowgli, cantora, guitarrista e compositora de conhecimento profundo de música tradicional ibérica, traz-nos uma série alargada de canções populares transformadas pela sua abordagem criativa e eclética. Esta viagem musical imaginativa é acompanhada por Luis Gálvez “Punto”, percursionista de Toledo, que colabora com a Rosalía Mowgli com extraordinária cumplicidade, garantindo assim um espectáculo brilhante.

20h30
Praça Comendador Infante Passanha
#Música

Pauliteiros de Cércio, Miranda do Douro

A dança dos pauliteiros pode bem ser de origem guerreira da época Celta. Com uma coreografia considerada única no mundo, as danças “Lhaços”, retratam temas de índole agrícola, com ênfase nos temas sociais, guerreiros, amorosos e religiosos, entre outros. Relativamente ao Grupo Folclórico de Pauliteiros de Cércio, os primeiros documentos oficiais referem a sua deslocação Londres em 1933. Os modelos de trajes que então levaram são os que ainda hoje usam. Desde então, apesar de terem sofrido com a imigração na década de 60, têm sido convidados para os melhores festivais de folclore no mundo, mantendo o espírito dos antepassados e levando a dança tradicional no sangue.

21h30
Praça Comendador Infante Passanha
#Música
#Dança

Campaniça do Despique

de Pedro Mestre e o Rancho de Cantadores da Aldeia Nova de São Bento

Evocando o mais genuíno toque de viola campaniça, que desde sempre acompanhou os cantes de improviso no Alentejo, Pedro Mestre irá presentear o público com temas inéditos, da sua autoria e modas do cancioneiro tradicional alentejano, as quais ganham novo fôlego, onde a tradição e inovação se fundem. Irá contar com a participação de vários músicos convidados, que têm em comum o gosto e o fascínio pela música tradicional de raiz e o têm acompanhado ao longo do seu percurso profissional e pessoal, de um modo impar. Campaniça do Despique, um espetáculo a não perder, o qual visa enaltecer a tradição e a riqueza musical, que carateriza Pedro Mestre, a Viola Campaniça e o Alentejo.

22h
Praça Comendador Infante Passanha
#Música

Fonko

de Göran Olsson, Lamin Daniel Jadama & Lars Lovén

Uma grande revolução musical do nosso tempo está a ter lugar em África. Kuduro, coupé-décalé e ndombolo são estilos de música de dança, baseados em ritmos tradicionais e tornaram-se uma forma de expressão da identidade para toda uma geração. Narrado por Fela Kuti e Neneh Cherry.

88’ / SUÉCIA / 2016 / legendado

23h
Centro Manuel da Fonseca
#Cinema

Dj 4lquimia

Uma noite dedicada ao Hip Hop. DJ 4laquimista traz-nos música da sua autoria e uma viagem musical abrangente que cruza Hip Hop e Drum N Bass com samples de música tradicional gravada por Michel Giacometti.

00h30
Jardim Público
#Música

Dj KennyStones

O DJ KennyStones traz uma viagem através do tempo, percorrendo os estilos Hip Hop desde o Bombas ao Trap e apresenta pela primeira vez em Ferreira músicas da sua autoria.

01h30
Jardim Público
#Música

Largada de Pombos

Dia de Solta com a gentileza da Secção Columbófila da Casa do Povo e a Sociedade Columbófila Asas Azuis. 

10h50
Casa do Povo de Peroguarda
#Antropologia

A Arte de Cortar Presunto

por António González Cárdeno

Cortar presunto e desenhar no prato é a arte de Antonio González Cárdeno. Natural de Cumbres Mayores (Huelva), Antonio tem 6 anos de corte de presunto e 2 anos no circuito do concurso a nível nacional (Espanha) e internacional. Actualmente conta com uma vintena de prémios, entre os quais se destaca ser o Actual Vice-campeão de Corte de Presunto de Espanha 2018.

11h30
Casa do Povo de Peroguarda
#Gastronomia

Sorteio de Presunto Pata Negra

Sorteio para reverter a favor dos Bombeiros Voluntários de Ferreira do Alentejo. 

12h
Largo da Igreja de Peroguarda
#Gastronomia

Entre família - Concerto de acordeons

com Luís Mira e João Romão

João Romão acordeonista de Odivelas e o seu neto Luís Miguel Romão Mira jovem acordeonista premiado, dão-nos o prazer de os ouvirmos entre família. 

12h20
Casa do Povo de Peroguarda
#Música

Gaspacho Popular

Almoço comunitário confeccionado na Peroguarda por uma equipa exclusivamente de homens, com o apoio da Junta da Freguesia de Alfundão e Peroguarda. 

Participação especial do Grupo Coral Feminino As Margaridas de Peroguarda

13h
Casa do Povo de Peroguarda
#Gastronomia

Simbiose entre Portugal e a cultura Hip Hop e Dissecação de instrumentais

por Bernardo Moreira (DJ 4lquimista)

A palestra incide sobre as influências e o desenvolvimento ao longo da história do Hip Hop nos Estados Unidos e em Portugal. Como o Hip Hop colhe referências à tradição popular, ao Blues e ao Jazz nos Estados Unidos e ao fado, em Portugal. Como pode o Hip Hop ganhar uma sonoridade única no mundo e a dar uma nova vida às nossas tradições musicais. 

O workshop convida músicos profissionais, amadores e curiosos a aprenderem as técnicas inerentes ao processo criativo de samplar, desconstruir e dissecar música. 

16h
Centro Manuel da Fonseca
#Música
#Workshop

Fonko

de Göran Olsson, Lamin Daniel Jadama & Lars Lovén

Uma grande revolução musical do nosso tempo está a ter lugar em África. Kuduro, coupé-décalé e ndombolo são estilos de música de dança, baseados em ritmos tradicionais e tornaram-se uma forma de expressão da identidade para toda uma geração. Narrado por Fela Kuti e Neneh Cherry.

88’ / SUÉCIA / 2016 / legendado

21h
Centro Manuel da Fonseca
#Cinema